Instalando a antena coletiva


Veja as dicas de especialista no assunto e evite erros

Com a disseminação da TV digital em todo o território brasileiro e a oferta cada vez maior de equipamentos aptos para captar o sinal UHF, cresce o interesse de síndicos em instalar uma antena coletiva que distribua o sinal para todos os condôminos. Entretanto, alguns cuidados devem ser tomados antes de iniciar a instalação.

Confira abaixo algumas dicas dadas por Eduardo Bicudo, especialista no assunto e membro do Módulo de Promoção do Fórum do Sistema Brasileiro de TV Digital Terrestre (Fórum SBTVD).

Principais cuidados que os síndicos devem tomar na instalação da antena coletiva

Para se proteger, busque informações da empresa que prestará o serviço. Verifique outros serviços prestados por ela; a garantia que ela dá quando houver a necessidade de manutenção; solicite um projeto de instalação e documentação de tudo o que foi instalado; antes de fechar o negócio, confira se o contrato de prestação de serviços está claro, objetivo e de acordo com o que foi apalavrado. De modo geral, a internet pode ser uma boa ferramenta para buscar mais informações da empresa e inclusive saber da opinião de outros clientes atendidos por ela.

Fora isso, tente conferir com o instalador onde que ele fez curso de instalação de antenas e procure escolher os que foram orientados ou fizeram curso em indústrias especializadas.

Sempre exija cabo coaxial (cabo condutor para a transmissão de sinais) que passe a frequência de UHF (canais 14 a 69) e que tenha pelo menos 70% de malha. Veja imagem abaixo:

TV DIGITAL

Riscos que síndicos e condôminos ficam sujeitos no caso de instalação inadequada



Se o produto instalado não for de boa qualidade, em menos de seis meses começam a aparecer os primeiros problemas. O mais comum é que os apartamentos mais distantes do ponto de instalação da antena tenham dificuldades para captar o sinal ou simplesmente não tenham acesso a ele. Outra possibilidade é que a antena mal instalada comece a se movimentar em virtude de ventos mais fortes, o que causa a alteração na qualidade do sinal recebido e distribuído.

Para avaliar a qualidade do material utilizado, é aconselhável buscar a opinião de alguma pessoa isenta e que possa dar a melhor orientação possível. No mais, a internet novamente pode auxiliar na pesquisa dos produtos utilizados e na busca de opiniões de consumidores que já fizeram uso deles.

Estrutura para instalação



Os cabos da antena coletiva não devem ser instalados junto aos cabos de energia, pois isso pode gerar interferências na recepção tanto do sinal analógico (VHF) quanto do digital (UHF). O mesmo vale para a casa de máquinas dos elevadores, pois os motores geram ruídos que também podem causar ruídos na imagem recebida.

Benefícios da instalação da antena coletiva



O maior benefício dessa instalação é a melhor qualidade de som e imagem propiciada pela TV digital, além do acesso a interatividade no caso dos condôminos que já possuem televisores com o Ginga embarcado (identificado pelo logo DTVi). A instalação não causa prejuízos àqueles que ainda não adquiriram os televisores mais recentes – com a tecnologia já integrada – pois a antena distribui os dois sinais: analógico e digital.

No caso de não querer adquirir outro equipamento, o condômino tem a opção de comprar um set-top box (conversor) para ser acoplado ao televisor antigo, o que lhe permitirá assistir todo o conteúdo em alta definição disponibilizado pelas emissoras abertas do país.
Portuguese page